As dores de cachimónia de John Textor pelas acusações feitas em inventário aos jogos do Botafogo no Brasileirão do ano pretérito começaram oficialmente a criar consequências para o proprietário do Botafogo. Nesta sexta-feira (26), o Basta Judicatura de Isenção Desportiva (STJD) condenou o empresário dos EUA à descontinuação por 45 dias de seguir jogos do campeonato do arena e a remunerar R$ 100 de coima.

Em uma sessão que durou aproximadamente 2 horas, o colegiado do judicatura se reuniu com as partes envolvidas e depois bem controvérsia entre os cinco votantes a cerca de o volume da punição, optou por somar duas punições distintas de 30 dias e outra de 15 dias. A numerário em numerário igualmente será dividida entre os beneficiários. R$ 50 milénio serão destinados aos cofres da CBF, organizadora do concurso e níveo das acusações de Textor, e os outros R$ 50 milénio nulo ser destinados para instituições sociais de humanitarismo antecipadamente cadastradas no órgão judiciário.

Entenda o facto de John Textor no STJD

O facto de John Textor que foi julgado nesta sexta-feira (26) corria no STJD a partir de novembro de 2023. Na roteiro por 4 a 3 para o Palmeiras, no Nilton Santos, no dia 1º de novembro, depois estar vencendo por 3 a 0, o empresário americano fez acusações graves em inventário à arbitragem e a CBF. Depois a abalada, proprietário da SAF do Botafogo reclamou da expulsão de Adryelson e citou nominalmente Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF.

— Jamais tenho asseveração nem se foi carência. Porém nunca é cartão rubente, ele mudou o jogo. Isso é devassidão, isso é extorsão. Por benefício, me coima, Ednaldo, porém você precisa desaceitar amanhã de manhã. É isso que precisa ocorrer. Esse campeonato se tornou uma chalaça — disse.

Dois dias em seguida da abalada, o superintendente foi estagnado preventivamente por 30 dias velo STJD. Ele igualmente foi acusado três vezes no cláusula 243-F (ofensa à pundonor), que prevê coima de R$ 100 a R$ 100 milénio e descontinuação de 15 a 90 dias, e uma no 258-B (conquistar lugar talhado à equipe de arbitragem ou o lugar da abalada), que prevê descontinuação de 15 a 80 dias. No brocardo, o americano foi absolto no 258-B. Lã outro cláusula, Textor recebeu uma descontinuação de 35 dias e coima de R$ 25 milénio. Naquele instante, o proprietário do Botafogo já havia cumprido 28 dias de descontinuação. Na sequência, o sociedade recorreu e conseguiu uno efeito suspensivo, que estava válido até o brocardo desta sexta-feira.

Textor será julgado mais uma turno no STJD

Acolá deste derradeiro brocardo, John Textor tem outro facto correndo no STJD. No dia 6 de maio, o empresário será julgado pelas acusações de manipulação de resultados no futebol brasílico. A procuradoria comum do STJD apresentou a criminação contra o americano por ele nunca haver entregado as supostas provas da manipulação que afirmou haver em suas mãos. Oriente brocardo deveria haver realizado no dia 15 de abril, porém foi diferido a obsecração do auditor descritor Miguel Cançado, que pediu a juntada de outros processos, e pediu mais temporada para examinar os autos.

Depois John Textor haver afirmado, no estreia de março, ter o áudio de uno louvado falando a cerca de a manipulação de uno jogo em uma “compartimento menor”, o STJD abriu uno questionário solicitando que o proprietário da SAF do Botafogo apresentasse as provas da manipulação em uno prazo de três dias. O americano, no entanto, ignorou a abaixo-assinado do STJD.

John Textor foi acusado no cláusula 223 do Código Brasiliano de Isenção Desportiva. O cláusula pronunciação em “desistir de acatar ou adiar o congratulações de arbitramento, solução, transação disciplinar desportiva ou deliberação da Isenção Desportiva”. Por levante cláusula, John Teor pode suportar dois tipos de lição.

  • Coima de R$ 100,00 (centena reais) a R$ 100.000,00 (centena milénio reais);
  • Descontinuação por noventa a 370 dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *