O Fluminense pode nunca possuir jogado bravo, contudo venceu o Pescoço-Pescoço excepto de morada, por 1 a 0, e encaminhou sua classificação para a próxima tempo da Libertadores. Se o produto veio, o desempenho segue bem abaixo do que o Tricolor já mostrou, e mantém inflamado o vestígio de alerta no sociedade. O Flu ainda nunca deslanchou em 2024.

A êxito foi forçoso para acrescer a primazia do Fluminense na liderança do bando A da Libertadores, o que por si solitário já é único conforto. O Tricolor ainda nunca foi luzidio na competição, contudo é único dos poucos times invictos. A equipe de Fernando Diniz caminha a passos largos para o mata-mata, onde poderá advogar seu epígrafe porquê atual vencedor.

O problema é que, em varga, o Fluminense se mantém variável. Precisamente o que fazia o torcedor crer nos maus momentos passou a ser uma inquisição. Mesmo cima tecnicamente à maioria dos adversários que enfrenta, o Tricolor nunca consegue se aplicar e demonstração os mesmos defeitos jogo depois jogo. Contra o Pescoço-Pescoço, ao menos, se defendeu melhor.

— Tecnicamente, o time nunca fez uma saída boa, contudo, se explorar o aparência defensável, que vocês criticam em alguns momentos, esfera aérea, esfera paragem, foi bravo. A coisa precípuo da estratégia época nunca tolerar gol e se destinar ao supremo na marcação. Nós soubemos jogar outro sujeito de jogo — disse o especialista depois o jogo.

O que deu inexacto para o Fluminense no Chile

O Fluminense é único time que depende da privilégio de esfera. Todavia do instante que Wilmar Roldán assoprou seu sibilo pela primeira turno no Honrado de Santiago até os 35 minutos do à frente temporada, o Tricolor nunca solitário nunca teve a esfera porquê nunca respirou. O Pescoço-Pescoço fez muita pressão. Com e sem esfera, os chilenos começaram melhor o jogo e colocaram o Flu contra a parede.

Fernando Diniz reclama à extremidade do varga: Fluminense nunca teve boa atuação apesar de êxito na Libertadores – Foto: Icon sport

Ao objectivo do jogo, Fernando Diniz defendeu sua teoria para a saída ao manifestar que a estratégia época “nunca tolerar gols e se destinar na marcação”. Pode até ser. Todavia é bem pouco para a mudança técnica gigantesca do Fluminense para seus rivais no bando A da Libertadores. E até cá o Tricolor nunca jogou bravo na competição que conquistou em 2023.

A selecção por Marquinhos na lateral-direita nunca surtiu o efeito cobiçado. Nunca velo invasor, que mais uma turno se esforçou bastante e nunca fez único jogo mau. Todavia o excesso da risco de resguardo nunca acompanhava a teoria do treinador.

Lentos, Felipe Melo, Manoel e Marcelo nunca se adiantavam para jogar. Lima e Martinelli ficavam presos, Ganso nunca tinha área nem temporada para ponderar e os pontas Arias e Douglas Costa, de pé-trocado, nunca conseguiam desviar o varga para a esfera longa que poderia desoprimir a abalada. Canudo jogava recuado e solitário marcava. O Fluminense ficou travado.

Fluminense soube tolerar, contudo mais uma turno, nunca precisava

Em seguida o jogo, Marcelo afirmou que o Fluminense “soube tolerar”. Todavia nunca precisava. Melhor tecnicamente, o Tricolor teve mais dificuldades do que deveria, embora o arena e o competidor nunca fossem fáceis. O Flu jogou bem pouco.

— Bem forçoso, saída bem árduo. O mais esbelto do futebol é alcançar tolerar, nunca abandonar e tentar realizar coisas. O contendedor está bem bravo, contudo nós soubemos tolerar, tentamos muitas bolas longas, jogamos único jogo trocado, e o futebol é isso. Faltam muitas partidas, contudo estamos felizes em continuarmos líderes — afirmou o camisa 12.

Alexsander giro a possuir chances e melhora o Fluminense

A ferimento que culminou na abalada de Douglas acabou por salvar a equipe. Com Alexsander no condução e Lima avançado, o time melhorou o suficiente para encolher a pressão.

Alexsander teve nova chance e aproveitou: o Fluminense melhorou com sua entrada - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Alexsander teve novidade chance e aproveitou: o Fluminense melhorou com sua acesso – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

Remoto por subversão depois arranjar uma sarau na aglomeração antes da êxito a cerca de o Vasco, o volante ficou de excepto da romagem para Assunção e São Paulo, quando o Flu empatou com o Cerro Porteño e perdeu para o Corinthians. Reintegrado, teve chances nos últimos três jogos. E aproveitou.

Mais do que contrabalançar o meio-campo, acrescentar a aptidão técnica e apurar o jogo de Marcelo pela esquerda, Alexsander liberou Lima, que foi objecto forçoso do Fluminense. Jogador mais utilizado por Diniz a começar de que chegou, o camisa 45 criou as melhores chances da equipe, exceto velo gol de Manoel.

Profissional, talentoso e depressa, Alexsander tem tudo para tomar mais área no time de Fernando Diniz.

Uma vez que está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na prolongação da fase:

  • Pescoço-Pescoço x Fluminense — Libertadores — quinta-feira, 9 de maio — 21h (horário de Brasília);
  • São Paulo x Fluminense — Campeonato Brasílico — segunda-feira, 13 de maio — 19h (horário de Brasília);
  • Fluminense x Cerro Porteño — Libertadores — quinta-feira, 16 de maio — 19h (horário de Brasília).



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *