Jamais dá para adestrar a vigor mental e o afã do Bayer Leverkusen nessa período. Em seguida 48 jogos invictos, portanto com 40 vitórias e oito empates, a equipe ia perdendo nesta quinta-feira (9) para a Roma por 2 a 0 até os 31 do segundo período, produto que levava a semifinal da Amálgama Europa para diferimento porque os alemães venceram a saída de ida da semifinal por 2 a 0. Contudo nunca podemos suspeitar não do time de Xabi Alonso em 2023/24. A equipe diminuiu a primazia com gol contra bizarro de Mancini e, no derradeiro minuto de amplificação, buscou o empate que confirmou a maior sequência sem derrotas da narrativa do futebol europeu.

É único itinerário reiterado nessa período. Os dois gols dos Aspirinas colocam o grémio com 24 em seguida os 30 minutos em todo 23/24. Inimaginável. Segunda final para equipe, que igualmente jogará a despacho da Despensa da Alemanha.

E nunca poderia haver sido mais dolorido para Roma, com 2 a 0 no placar em dois pênaltis convertidos por Leandro Paredes. Aos 31 da lanço final, único escanteio cobrado no via da dimensão chegou no goleiro sérvio Mile Svilar, em largo dia, que sofreu o contato do privativo companheiro Chris Smalling e caiu. Sem aguardar, o zagueiro Gianluca Mancini viu a esfera chocar nele e entrar. A equipe de Daniele de Rossi nunca conseguiu reagir e, por pouco, quase tomou o segundo. Jeremie Frimpong ficou sozinho na face do gol aos 43, quando Svilar fez outra resguardo espetacular. Nos acréscimos, com o goleiro além de do gol, Patrik Schick quase fez de reduto.

O Leverkusen joga a despacho da Amálgama Europa contra a Atalanta no dia 24 de maio na Dublin Redondel, na Irlanda. É a primeira final europeia dos Aspirinas a partir de 2002, quando perdeu a Champions League para o Verdadeiro Madrid. Plaino reportar que já foram campeões da segunda competição da Europa em 1988, ainda porquê Despensa da Uefa, em alto do do Espanyol.

Goleiro da Roma fecha o gol no 1º período

Que jogaço foram os 45 minutos iniciais. A Roma, precisando de dois gols, começou melhor, mais com esfera e controlando mais para onde o jogo ia. Quase abriu o placar já com três minutos, quando Romelu Lukaku ficou na face do gol em seguida lançamento escolhido do capitão Lorenzo Pellegrini. No entanto, o mando de seio do belga escapou um tanto e Matej Kovar antecipou ao trespassar do gol. O goleiro tcheco igualmente trabalharia aos 15, instante que Pellegrini cabeceou completamento sozinho na dimensão. Por tramontana, a finalização veio fraca e a resguardo nunca foi acolá das mais difíceis. Incrivelmente, o precaução marcado por Paredes nunca aconteceu nesse instante de subida dos italianos. Na veras, foi posteriormente que as coisas mudaram para os donos da lar.

Parece que a úlcera de Leonardo Spinazzola aos 20, somada a uma desorganização generalizada pela escassez de fair play de Jeremie Frimpong, abateu a Roma e acordou o justador. A abalar dai, o Leverkusen amassou o oponente, dominou a esfera e sufocou a partida, porquê nos melhores momentos da período.

Principalmente de além de da dimensão, foram várias chances. A mais extraordinário veio em privação ensaiada. Exequiel Palacios recebeu de distanciado e bateu cruzado rastejador. A esfera explodiu no calcante da trave, tocou nas dorso de Mile Svilar e quase tomou o sorte do gol. Jamais isolado as dorso, contudo as mãos do goleiro sérvio igualmente foram importantes: impediram que uma linda batida colocada de Frimpong virasse gol, pararam duas vezes seguidas Amine Adli e Adam Hložek, que já tinha sofrido com as intervenções do arqueiro romano antes. Uma verdadeira paredão na BayArena.

Nesse cenário de fuzilamento e engasgo que a Roma encontrou o pênalti e saiu vivíssima no avante período.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *