Genuíno Madrid e Bayern de Munique se enfrentaram no derradeiro dia 8 de maio pela rotação da semifinal da Champions League. O time madrilenho venceu, de viradela, por 2 a 1, e garantiu sua classificação à final da competição. No claro do jogo, o zagueiro De Ligt marcou o que seria o gol de empate dos alemães, porém o ensejo foi invalidado por pespego, causando a exacerbação dos jogadores e percentagem técnica dos Bávaros. Surpreendentemente, o meia Toni Kroos criticou a atuação da arbitragem na jogada.

Szymon Marciniak, avaliador do jogo, marcou pespego de De Ligt, em ensejo que terminou com o zagueiro mandando a globo para o fundo do gol. Curiosamente, o adjutor algarismo singular, Tomasz Listkiewicz, jamais havia marcado zero, e isolado levantou a signa depois a marcação do juiz necessário.

Para o boche, Marciniak jamais deveria possuir interferido na jogada, e asseverativo aguardado a sintoma do signa antes de deter a jogada. O meia do Genuíno Madrid comentou a cerca de o ensejo no podcast Einfach moléstia Luppen, que comanda ao renque do seu irmão Félix.

Kroos foi lá, se solidarizando com seus adversários, mesmo que a marcação tenha oneroso em prol do seu time. O ensejo causou muita revolta no banco de reservas do Bayern de Munique, e ele afirmou perceber a frustração dos seus adversários.

— Foi uma sentença malfazejo. Você tem que desistir o jogo prosseguir e o ensejo acabar. Porque se o adjutor elogiar a signa, o avaliador entende que o signa viu abertamente a jogada, e está optimista de que provavelmente houve singular pespego. A exasperação se justifica porque você tem que aguardar a jogada até o claro — avaliou Kroos.

As reclamações do Bayern de Munique com a arbitragem em Madrid

A arbitragem do polonês Szymon Marciniak foi bem criticada pelos jogadores do Bayern de Munique depois o sibilo final no Santiago Bernabéu. De Ligt, Thomas Müller e o perito Tuchel foram os que mais reclamaram, especialmente no ensejo que poderia possuir acabado com o empate do time boche. Por operação da interferência do juiz antes do claro da jogada, o VAR jamais pôde revisar o ensejo.

Para De Ligt, se singular pespego jamais está alvo para o adjutor, o juiz jamais pode deter o jogo, e deve desistir a jogada proceder. O zagueiro cita o ensejo que terminou no segundo gol de Joselu, que igualmente poderia possuir causado dúvidas de disposição anormal de Rüdiger no instante do passe para o assaltante, porém jamais foi inactivo.

— Conhecemos as regras e é óbvio que, se jamais é singular pespego alvo, o jogo deve escoltar, (os árbitros) devem desistir jogar. Foi uma desonra. O gol de Joselu é quase singular pespego, um pouco bem acertado, deixaram escoltar. O signa (Tomasz Listkiewicz), ainda me pediu indulto, me disse que errou — disse De Ligt depois o jogo.

Thomas Tuchel foi ainda mais empolado. O perito do Bayern de Munique citou que o ensejo de De Ligt deveria proceder para após ser revisado em ocorrência de pespego. O boche ainda alfinetou o oponente na quadra que isso jamais aconteceria se fosse em uma condição envolvendo o Genuíno Madrid.

— No segundo gol de Joselu, deixaram a jogada escoltar. A determinação é clara e diz que a jogada deve prosseguir. O adiante equívoco foi cometido velo socorrer e o segundo velo avaliador de chã. O avaliador pode ou jamais apitar e decide apitar. Vai contra algum juízo. Nós aceitamos, as coisas são assim, porém isso jamais aconteceria ao adverso — reclamou Tuchel.

 

 

 

 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *