Entenda estratégia do Flamengo para levar atletas em transferência para viagens

O Flamengo ainda nunca vai autoridade narrar com o regressão de uno dos seus principais jogadores. Arrascaeta viajou com a transição para São Paulo na expectativa de se restabelecer visando o jogo contra o Palestino, porém nunca atingiu o objetivo e retornou ao Rio de Janeiro para completar a transferência física. Sua comparência, porém, faz porção do especial planejamento do Vermelho-Preto.

A Trivela apurou detalhes da estratégia do Flamengo, que difere de boa porção de outros clubes do Brasil. Já foram velo menos quatro atletas nesta estado.

Por que Arrascaeta viajou com o bando?

O meia uruguaio sofreu uma ferida no adutor da coxa durante a abalada contra o Botafogo, no dia 28 de abril. O especial Flamengo informou que o problema de Arrascaeta época curto, ou seja, o fase de recobramento nunca seria dos mais longos. Por isso os treinos com esfera e o lisura da transferência física demorariam pouco para debutar, menos de uma semana em seguida, inclusive.

Pensando na contingência de regressar contra o Palestino, Arrascaeta viajou com o bando para Bragança Paulista, onde realizou treinos específicos em Atibaia e no CT Joaquim Grava, do Corinthians. A comparência do camisa 14 na transição foi confirmada, pois os membros do departamento galeno igualmente embarcaram, chefiados por Márcio Tannure. A permanência do uruguaio no Rio, logo, nunca faria acepção.

Uma vez que as lesões musculares são tratadas com cuidado, Arrascaeta nunca conseguiu entrar em condições para receptar o vestígio verdejante de Tannure e companhia. Ele retornou ao Rio de Janeiro para completar o método de recobramento e, quem sabe, permanecer à posição para o jogo deste sábado (11), defronte do Corinthians, no Maracanã.

Arrascaeta treinou com o elenco, porém nunca fica à posição de Tite contra o Palestino (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Outros fizeram o mesmo

Nunca foi isolado Arrascaeta que passou por esse indivíduo de estado no Flamengo. Wesley e Allan, por exemplo, igualmente viajaram com a transição para partidas em que tinham chances remotas de comparência. O lateral honesto esteve no elenco que embarcou para Goiânia, visando a começo no Campeonato Brasílio, defronte do Atlético-GO, e nunca teve condições de jogo. Fez escassez, inclusive, já que Varela foi traficância de última hora.

As razões por trás da estratégia do Flamengo

À excepção de, cândido, aguentar o comitiva de perto por porção do departamento galeno, a comparência dos atletas nessas situações em específico tem a presenciar com o método de reintegração ao elenco. Essa governo de bando é aspecto porquê imprescindível para a percentagem técnica de Tite, no claro de que todos se sintam importantes, ainda mais no acontecimento de lideranças porquê Arrascaeta.

Para exemplificar, é fácil reportar o acontecimento de Gerson. O Coringa teve que cruzar por uma cirurgia nos rins para emendar uma hidronefrose e, poucos dias em seguida, já estava no Ninho do Urubu com os companheiros. O jogador isolado voltou a enroupar o regular de treinos do Flamengo uno mês em seguida, porém acompanhou o dia a dia do elenco com aferro.

É essa postura que Tite quer durante a reintegração. Nunca expor o desportista somente na porção física, porém na mental igualmente. Esse guarida faz ainda mais acepção quando se analisa o instante que o Flamengo vive na período, de nutação e saudade de alguns atletas entregues ao departamento galeno. A exiguidade de Cebolinha, que giro contra o Palestino, por exemplo, foi bem sentida.

Se essa estratégia vai perdurar ou nunca, isolado o fase pode expressar, porém essa é a estado de instante do Flamengo. Seria generoso, igualmente, autoridade narrar com Arrascaeta defronte do Palestino, em abalada que se desenha porquê imprescindível para as pretensões de Tite e companhia no Quadrilha E da Libertadores.



marcio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *